16/03/2014

[RESENHA] #A CULPA É DAS ESTRELAS


Hello bibouss, tudo okay? Comigo tudo ótimo, pois finalmente vou fazer a resenha de um livro que está na boca do povo e eu estava me corroendo de tanta curiosidade, li várias críticas a respeito deste livro e eis a minha, vamos começar?


Lido em: Março de 2014
Título: A culpa é das estrelas
Autor (a): John Green
Editora: Intrínseca
Gênero: Ficção americana
Ano: 2014
Páginas: 288
Avaliação: ★★

Sinopse: A culpa é das estrelas narra o romance de dois adolescentes que se conhecem (e se apaixonam) em um Grupo de Apoio para Crianças com Câncer: Hazel, uma jovem de dezesseis anos que sobrevive graças a uma droga revolucionária que detém a metástase em seus pulmões, e Augustus Waters, de dezessete, ex-jogador de basquete que perdeu a perna para o osteosarcoma. Como Hazel, Gus é inteligente, tem ótimo senso de humor e gosta de brincar com os clichês do mundo do câncer - a principal arma dos dois para enfrentar a doença que lentamente drena a vida das pessoas.

    A culpa é das estrelas, isto mesmo eu li este livro no final de semana na casa da minha avó. De noite comecei a entrar no universo de Hazel Grace Lancaster e não demorou muito pra ficar entretida com seu jeito doce e divertida com um leve tom sarcástico. 

     Hazel uma adolescente de dezesseis anos, leva uma vida sossegada e não tem muito contato com seus amigos. Sua mãe a leva para mais um dia no grupo de apoio (pois Hazel teve câncer na tireoide que depois se transformou em metástase no pulmão) e pede que ela faça amigos. Hazel não parece querer atender ao pedido da mãe, mas vai à reunião e esbarra em Augustus Water, ( ele tem câncer nos ossos) que de imediato começa a encarar descaradamente. Os dois começam um joguinho de se encarar e logo em seguida Hazel conclui que venceu quando Augustus sorri e desvia o olhar.                                           

   Augustus é questionado pelo mentor do grupo pelo que ele tem mais medo e ele afirma que é o esquecimento. Dando oportunidade a Hazel esboçar a verdade que assola a maioria das pessoas.

     Quando está indo embora é abordada por Augustus e logo eles tecem uma forte amizade, dando início a longos papos e questionamentos por um final de livro denominado Uma Aflição Imperial dando início a uma busca cultural com a ambição de descobrir o final do livro que o autor Peter Van Houten, autor fictício criado por John Green. 

     Depois de várias comparações metafóricas e a aproximação de um casal com um forte sentimento o livro se transformou em uma lição de vida e de verdadeiros pensamentos que assolam a humanidade. Sem querer Hazel me ensinou que nada é perfeito, mas pode ser aceito e vivido com intensidade. A estória em si me pareceu triste mas não fiquei deprimida como quando vi o filme Uma prova de amor, os personagens são tão divertidos e intrigantes que não fiquei com um vazio no peito.


       Bom bibouss eu sei que é bem clichê dizer isso, mas não encontrei outra forma de me expressar. O livro verdadeiramente me encantou, eu tenho que dizer que eu chorei e ri exatamente como diz na capa. Mas eu tinha certa opinião estabelecida erroneamente a cerca da estória do livro, depois de ler resenhas de outros blogs sobre este livro é difícil não formar uma opinião errônea sem ler o livro.

     Mas a verdade é que eu não esperava um livro tão absurdamente inteligente cheio de comparações metafóricas e opiniões verdadeiras que as pessoas de carne osso pensam. Hazel e Augustos eram tão parecidos e ao mesmo tempo tão diferentes, tinham opiniões extraordinárias a respeito do mundo e de como as pessoas convivem vivendo nele. O mundo não era só deles, mas secretamente eu desejei que fosse. Não vai ter um só dia da minha vida que eu possa dizer que me arrependi de ler este livro. Hazel e Augustus não tinham um tempo infinito mais um pequeno infinito que eles viveram juntos durou eternamente. Fecho a resenha com as palavras que eles disseram um para o outro e que só os fortes entenderão!

Kissus
©
.
.
imagem-logo