13/04/2014

[RESENHA] #A MALDIÇÃO DO TIGRE


Lido em: Abril de 2014
Título: A maldição do Tigre
Autor (a): Colleen Houck
Editora: Arqueiro
Gênero: Ficção americana
Ano: 2011
Páginas: 344
Avaliação: ★★★+

Sinopse: Kelsey Hayes perdeu os pais recentemente e precisa arranjar um emprego para custear a faculdade. Contratada por um circo, ela é arrebatada pela principal atração: um lindo tigre branco. Kelsey sente uma forte conexão com o misterioso animal de olhos azuis e, tocada por sua solidão, passa a maior parte do seu tempo livre ao lado dele. O que a jovem órfã ainda não sabe é que seu tigre Ren é na verdade Alagan Dhiren Rajaram, um príncipe indiano que foi amaldiçoado por um mago há mais de 300 anos, e que ela pode ser a única pessoa capaz de ajudá-lo a quebrar esse feitiço. Determinada a devolver a Ren sua humanidade, Kelsey embarca em uma perigosa jornada pela Índia, onde enfrenta forças sombrias, criaturas imortais e mundos místicos, tentando decifrar uma antiga profecia. Ao mesmo tempo, se apaixona perdidamente tanto pelo tigre quanto pelo homem. 

Kelsey é uma jovem de dezessete anos que perdeu os pais quando era mais nova e passou a morar com dois tutores e seus dois filhos. Ela acabou de concluir o segundo ano e queria trabalhar nas férias de verão. Ela arruma um bico em um circo e precisa ajudar a vender ingressos, alimentar cães e cuidar de um Tigre chamado Dhiren.

Kelsey se sente fascinada pelo tigre branco de olhos azuis penetrantes que furam sua alma, com o passar dos dias Kelsey vai se afeiçoando mais ao tigre e aprecia sua companhia, cita versos, poemas ou faz desenhos do tigre que ela começou a amar.
“Aqueles olhos eram hipnóticos. Eles se fixaram em mim, quase como se o tigre estivesse examinando a minha alma”.         
Mas faltando quase uma semana para o trabalho no circo se findar eis que surge um homem mais velho chamado Sr. Kadam que quer comprar Dhiren e faz um acordo com o dono que o vende de imediato. Kelsey quando descobre a notícia se sente feliz e ao mesmo tempo triste por ter que e afastar do tigre que ela admirava.


Mas Kelsey tem uma surpresa quando Sr. Kadam a convida para acompanhar Ren (apelido que ela deu carinhosamente ao tigre), alegando que ela já tinha maior intimidade com o tigre e assim ele ficaria mais tranquilo.

Kelsey vai para a índia com o Tigre e o Sr. Kadam, uma viagem muito longa e desgastante. Ela dorme quase a viajem toda e quando estava acordada, fazia diversas perguntas ao Sr. Kadam sobre a Índia e sua cultura.

Finalmente Kelsey, Ren e Sr. Kadam chegam a Índia, lá ela descobre que Sr. Kadam não irá até a reserva de tigres. Ela vai sozinha, com Ren e um motorista suspeito. Depois de horas dentro do caminhão (que transportava Ren), ela sente fome e vai até um restaurante comer e descansar um pouco.   
“Ren era como o Super-homem e eu tinha que admitir que não era nenhuma Louis Lane”.
Logo ela termina sua refeição e olha pela janela, ela vê um homem de blusa branca e pés descalços conversando com o motorista e paga a refeição e vai de encontro a eles. Mas quando ela chega percebe que o caminhão, o motorista e o tigre desapareceram. Ela fica desolada, sem saber o que fazer, ao olhar pela rua ela vê Ren parado na rua e fica mais aliviada. Afinal ela já tinha um vínculo com Ren e ele nunca tentou devorá-la.
“O irmão perigoso era Ren. Por mais inocente que o tigre de olhos azuis parecesse, era um predador irresistível. Absolutamente atraente - como uma planta carnívora. Tão atraente, tão tentador, tão mortal! Tudo o que ele fazia era sedutor e possivelmente perigoso para o meu coração”.


Ren parece chamar kelsey e ela o segue até uma floresta. Lá ela se pergunta por que segue o tigre, mas deixa o animal no comando. Depois de horas de caminhada, Kelsey avista uma casa e prende Ren com uma corda em uma árvore (como se uma corda frágil pudesse prender um tigre), e sai andando em direção a casa.
“Se os tigres têm alma, e acredito que tenham, imagino que a dele seja triste e solitária”.
Mas seu coração quase saiu pela boca quando ela escutou: “Isto é realmente necessário?”. Kelsey leva um tremendo susto e se vira atônita. Um homem lindo e maravilhoso de olhos azuis encantadores revela que é Dhiren o tigre e que ela precisa ajuda-lo a quebrar a Maldição do Tigre.
“O que eu sentia por ele parecia complicado demais para definir, mas logo se tornou óbvio para mim que a emoção mais forte que eu sentia, a que estava agitando meu coração, era… amor”.
Bibouss, eu não posso falar mais nada se não vou acabar dando spoiler, eu amei este livro. Eu ri e chorei também. Eu vou ser sincera, o final me deixou triste, eu não queria que acabasse daquela forma, mas eu entendi o por que. No lugar da Kelsey eu me sentiria da mesma forma.

Fiquei muito envolvida pelo enredo do livro, eu nunca tinha lido nada a respeito da cultura da Índia e sobre as mitologias. Fiquei muito impressionada com a criatividade da autora, muitas coisas eram clichês, mas havia muitas coisas que não eram. 

        Eu não citei na resenha, mas Dhiren tem um irmão mais novo que roubou sua noiva há 300 anos, o nome dele é Kisham e ele também havia sofrido a maldição. Porém Kisham diferente do Dhiren é um tigre negro da cor da noite mais sombria. Amei o Kisham ele é muito divertido é um divo mesmo. Imaginei-o parecido com o Sean Faris e adorei.
“Você é minha pérola inestimável”.
A escrita é bem gostosa de ler, não é uma linguagem muito difícil, apenas algumas palavras citadas lá que eram Indianas e eu não entendi (Rs). O que eu mais gostei foi a autora ter feito o livro baseado em tigres (que eu sou apaixonada), como protagonistas.

Meu Deus a capa, é maravilhosa sem brincadeira. O título do livro é em alto relevo, a cor predominante é um azul acetinado e também tem uma leve cintilação quando mexe no livro. Eu simplesmente amei, não tem como não amar o livro mais bonito da minha estante.

Kissus
©
.
.
imagem-logo