04/05/2014

[RESENHA] #CALISTO



Lido em: Maio de 2014
Título: Calisto trilogia da meia-noite I
Autor (a): Laura Elizia Haubert
Editora: Novo Século
Gênero: Ficção brasileira
Ano: 2012
Páginas: 204
Avaliação: ★★★★

Sinopse: Quando a noite cair, as brumas elevarem-se, a lua estiver banhada em sangue e as insígnias despertarem não restará opção se não lutar. Você não pode fugir de quem é do seu destino ou os demônios encontrados, e não poderá desistir porque terá sempre alguém a espreita. As cinco insígnias juntas são invencíveis, separadas devastadoras. Resista, combata, enfrente, acima de tudo conheça a si mesmo para descobrir se você está pronto para desvendar os mistérios. Draco, Lucas e Kalí possuem cristais, possuem força e não desistirão até Arrarock estar salva novamente. O preço mais caro sempre é pago pelos heróis. Acompanhe-os nesta jornada. 

    Draco um rapaz de dezesseis anos que é simples e gentil, mora com a mãe em uma casa comum e precisa ajudar a mãe a ganhar dinheiro. Caminhando pela floresta ele vê um brilho na água em que vira e ele decide pegar este objeto luminoso que parece o chamar. Ele tira as roupas e pula na água gelada para poder pegar o objeto que ele considera que possa valer alguma coisa.

    Mas Draco se surpreende quando o objeto (que na verdade é uma insígnia dos deuses) se ilumina ainda mais e como em um passe de mágica uma tatuagem em forma de espiral surge em seu braço e suas mãos se transformam em patas, atônito ele fecha os olhos e vê que tudo voltou ao normal, ele volta pra casa e sua mãe o fita assustada pela expressão no rosto do filho.  
“O maior erro dos humanos é se esquecerem que lendas não foram moldadas pela imaginação de um artista, mas, sim, recriadas de fatos longínquos e reais”.
      
     Não tão distante dali vive Lucas um rapaz órfão de pai e de mãe. Ele sai de casa com seu arco em busca de alimento e em uma clareira ele acredita ser sua única fonte de alimento. Mas algo surpreende Lucas ele não acredita no que está vendo: um enorme e magnífico Dragão verde-escuro com suas asas gigantes e olhos amarelos penetrantes.
“Ao seu nome ser pronunciado, reconheceu a voz, a reconheceria no inferno...”.
    Lucas escutou uma voz ecoar em sua mente era Niège que era fêmea. Ambos a partir deste momento seriam companheiros de alma e seriam como um só. Lucas seria seu cavaleiro disposto a dar sua vida por ela e ela daria sua vida por ele. Os dois agora tinham um compromisso inquebrável um com o outro.

    Lucas logo percebe que terá uma grande responsabilidade junto a Niège que o acompanhará em sua jornada. Logo os dois começam a se aproximar ainda mais ao ponto de não quererem se separar a união entre os dois se fortalecia ainda mais com o passar dos dias.
“(...) o maior erro dos orgulhosos é julgar o inimigo demasiadamente tolo”.

    Mas o destino une Draco e Lucas que não se conheciam e ambos partilham um ponto em comum e é a partir dessa semelhança que ambos vivem uma aventura destinada a devolver as insígnias aos deuses para não sofrerem as terríveis consequências. Logo depois ele conhecem Kalí uma elfa que os ajuda e os instrui com as armas, logo eles enfrentarão o perigo e viverão situações desagradáveis, será que nossos heróis estão a mercê da sorte?
“A magia jamais desperta sozinha. Esta é uma das primeiras objeções lembradas àqueles cujo destino é selado numa pedra infinita de poderes”.
    Olá bibouss, o livro de hoje é um de parceria com a Laura Elizia Haubert, por Calisto - Trilogia da meia noite I.  Logo estarei fazendo a resenha da continuação: Sohuem - Trilogia da meia-noite II.

    O livro é sobre um tema muito interessante, abrange um mundo mágico e cheio de segredos, os personagens são simples e cheios de responsabilidades que os são impostos com o decorrer da estória. Algumas cenas me surpreenderam e outras não.

    A diagramação é simples e a autora escreve muitíssimo bem, muitas palavras me eram desconhecidas e haviam frases no idioma élfico que tinham tradução na última página do livro. No início do livro tem um mapa de Arrarock muito legal. Encontrei erros na escrita, não muitos, mas não me passaram despercebidos, a Novo século precisa investir mais na revisão das folhas.  A capa do livro é linda de + um dragão verde com olhos brilhantes a ilustram. 
Kissus
©
.
.
imagem-logo