20/08/2015

[RESENHA] #BULLYING

Hello bibouss, tudo okay? A resenha de hoje é de um livro de parceria com o autor nacional L.L. Santos por Bullying, matando aula. Um livro com uma temática bem pesada e cheia de mortes. Vamos começar? \o/
Ficha técnica
Título: Bullying, matando aula
Autor (a): L. L. Santos
Editora: Clube dos autores
Gênero: Literatura nacional/ Thriller
Ano: 2012
Páginas: 330
Avaliação: 

Sinopse: Uma sala de aula de um colégio público tem a surpresa de conhecer a morte sem precedentes, quando um homem mascarado entra armado de um revólver e decide que este será o último dia de aula. Durante os momentos fatídicos, os estudantes mostram-se tão macabros quanto o estranho que os colocara na mais desesperada situação de suas existências. Ódio, medo, amor, preconceito, racismo. Imperam as diferenças sociais entre alunos que fariam de tudo para saírem ilesos. Inclusive matar seus colegas. Um retrato da sociedade educacional do Brasil. Um episódio que possui tentáculos em todas as direções que se pode imaginar. Chacina é a palavra-chave para por um fim a tudo! Porém, não é apenas a violência, mas a história de vários personagens que são retratos de um mundo real. E principalmente, com relação a quem tanto sofrera quando criança, nas mãos de outras crianças. Mostrando que uma tragédia que acontece "hoje" pode ter sido semeada a muitos anos atrás. E por este motivo, apenas ficou encubada... Algo que poderia ser evitado. Usando da educação familiar e também com ações de cidadania das instituições de ensino.
O livro começa com um acontecimento que muda a vida de vários alunos do 3º ano, na cidade de Francisco Alves, no Paraná. A trama começa com a chegada de um homem denominado por todos como “estranho”, que mantém os alunos de uma escola pública presos na sala de aula com a professora. O que seria mais um dia de aula comum se torna um verdadeiro inferno coletivo.
A trama é desenvolvida com capítulos alternados entre “o último dia de aula”, a descrição da vida de alguns alunos em particular, e a situação que é gerada em frente a escola. Há também as passagens de um menino chamado Carlinhos que é vítima de bullying constantemente e acaba sendo alvo de um trio de garotos que ateiam fogo no cabelo do menino, deixando se rosto completamente deformado.
"A juventude estava perdida. Nada mais havia a fazer. A escola que deveria comportar cérebros e corpos sãos, detinha na verdade, mentes em declínio em corpos dominados pela loucura social".
           Carlinhos começa a desenvolver uma espécie de paixão pelo fogo e começa a atear fogo em formigas, e logo em seguida em animais como gatos e cachorros, mas ele não para por ai. Uma vizinha de sua mãe acaba de ganhar uma menina e o mesmo decide colocar fogo no quarto da bebê. Ela não morre mas fica ainda pior do que Carlinhos, totalmente queimada e deformada. E ele gosta da sensação que sente ao atear fogo em qualquer um que lhe seja alvo fácil.
             A sala do 3º ano era repleta de adolescentes variados, magros, gordos, patricinhas, prostituta, evangélico, homossexual, negros entre outros. Tudo contribui para que os alunos se odiassem pois alguns eram alvo de inveja e outros de cobiça e isso se torna mais perigoso a cada página. Várias estórias em um único ambiente.
O autor explora com veracidade o que ocorre em uma sala de aula, um lugar que ninguém deseja estar e odeiam os professores, os outros alunos  etc.  A estória é bem pesada e a escrita se torna bem repleta de colocações inteligentes e poucos diálogos, ele torna o que seria bom o ruim e o que seria ruim o bom. Há utilização de várias figuras de linguagem, o que enriqueceu a trama criada pelo escritor.
"Ela acreditou que tinha visto os olhos por debaixo daquelas lentes redondas e escuras. E que eles diziam somente uma palavra: morte".
           Todos os alunos da sala são egocêntricos e esnobes, até Samuel que é o evangélico da turma é enjoado e metido a ser melhor que os outros, não gostei de nenhum aluno daquela maldita classe.
O que eu queria frisar é que o autor me pareceu acreditar que quem faz bullying com os outros nunca se arrependerá, mas eu acredito que as pessoas mudam com o passar dos anos, talvez para pior, mas talvez para melhor, fica a critério da criação que acada um obteve.                                        
O final deixou a desejar, mais ainda sim eu gostei muito do livro. A linguagem é das melhores, e a escrita flui com naturalidade. As folhas são brancas, a capa é muito feia, a diagramação é simples e o livro foi lançado pelo clube dos autores.
Bom foi essa a resenha, deixem nos comentários o que acharam sobre ela. Fiquem de olho nas redes sociais.
Kissus
©
.
.
imagem-logo