08/09/2015

[RESENHA] #DA BOCA PRA DENTRO

Hello bibous, tudo okay? Hoje aqui no blog uma resenha muito legal de um livro de crônicas, em parceria com a autora brasileira Yohana Sanfer, pelo livro Da boca pra dentro. Um livro repleto de reflexões e muito divertido por sinal, vamos começar? \o/

Ficha técnica
Título: Da boca pra dentro
Autor (a): Yohana Sanfer
Editora: Vermelho Marinho
Gênero: Literatura nacional/ Crônica/ Prosa
Ano: 2013
Páginas: 157
Avaliação: 

Sinopse: Da boca pra dentro - "Mas quantas e quais são as coisas que dizemos depois de consultar o coração? Um punhado de essência, um milhão de desejos, um infinito de verdades? Pra onde vai e de onde vem tudo aquilo que nos importa, esse tudo que é grande e traduzido pelas palavras que não cabendo no peito, transbordam corpo, alma e nossas certezas? Minha suspeita: da boca pra dentro. São da boca pra dentro todos os beijos que respondem um anúncio de dúvida, toda saudade confessada durante o abraço, o elogio inevitável, o desabafo acolhido por um olhar, a palavra engasgada e denunciada pelas lágrimas, o grito que transgride a calmaria.(...) Moram da boca pra dentro nossos silêncios falhos, nossas falas eternizadas na lembrança de alguém, o sentimento entregue num agradecimento, numa saudação sincera, numa notícia boa, numa declaração de amor."(Trecho da crônica "Da boca pra dentro").Um livro que reverencia o amor, os sonhos, os quereres e traz outros olhares sobre o cotidiano.
            O livro se trata de diversas crônicas que abordam diversos assuntos como a amizade, o amor, a paixão, o amor maternal e paternal, como se enxerga a vida e por aí vai. O livro é muito dinâmico, fala sobre o cotidiano e sobre o que se passa na cabeça da autora, durante a leitura pude perceber nuances da vida dela, a autora se utilizou de cenas do dia a dia para criar suas linhas e conquistar meu afeto.
            No decorrer dos capítulos conhecemos diversas façanhas da autora no amor, na vida, com o irmão mais novo, é muito divertido quando ela fala sobre como o amor é visto por homens e mulheres, que não devemos viver sem nos arriscar, sem levantar hipóteses e ter opinião própria.
          Em um capítulo em especial ela conta como é impulsiva e que não consegue se conter diante de um fato que não a agrada e eu fiquei imaginando como seriam suas reações dentro do contexto em que eu vivo. De como ela é firme em suas decisões e que não se arrepende do que faz, na verdade tem orgulho de viver da sua própria forma, sem padrões, sem limites.
         Em vários capítulos me senti como se tivesse sido escrito pra mim ou por mim, me identifiquei com as palavras e com as frases de destaque que tinham em determinadas páginas do livro.

“Adoro quando quase me convence de que está bravo quando mordo seu braço...”.

            Separei esse quote em especial, mas unicamente esta parte, pois descreve com exatidão o que vivo com meu amor, eu mordo ele e ele sempre finge estar zangado quando na verdade está louco de vontade de rir e talvez me morder também!

"Não gosto quando arruma minha bagunça. Viro fera quando veste a implicância e dá de mexer no meu umbigo, nas minhas unhas e sobrancelhas. E quando abre as janelas reverenciando a luz quando meu corpo ainda pede mais preguiça e o aconchego que o escuro do quarto traz".
            Esse outro quote também me fez sentir que eu escrevi, o meu amor sempre faz isso e eu fico louca de raiva, mas ao mesmo tempo eu amo quando ele implica comigo e sempre me faz rir. A autora escreve muito suavemente, tanto que li o livro e nem vi as páginas passarem, eram como se flutuassem na minha mente e me despertasse a sonhar.
         O livro é narrado em terceira pessoa, as páginas são amareladas, a diagramação é simples e divertida. A capa é show de bola, adorei.
            Bom bibous, essa foi a resenha espero que tenham curtido, fiquem de olho nas redes sociais e deixem nos comentários se já leram ou querem ler esse livro repleto de crônicas.
Kissus
©
.
.
imagem-logo