05/09/2015

[RESENHA] #FORTUNA, A SAGA DA RIQUEZA

Hello bibouss, tudo okay? Hoje aqui no blog uma resenha de um livro nacional, resultante de uma parceria com a autora Cássia Cassitas pelo livro Fortuna, a saga da riqueza, vamos começar? \o/

Ficha técnica
Título: Fortuna, a saga da riqueza
Autor (a): Cassia Cassitas
Editora: Clube dos autores
Gênero: Literatura nacional
Ano: 2012
Páginas: 262
Avaliação: 
Sinopse: Fortuna a Saga da Riqueza narra a história de Ricardo e Carolina em meio à crise econômica mundial de 2008. Falando sobre a busca da prosperidade, o livro é repleto de fatos históricos e de muita ação. O romance aborda a saga de uma família que conheceu as evoluções socioeconômicas do século XX abalado pelas guerras mundiais, embalado pelo capitalismo e consolidado pela sociedade de consumo. Os personagens têm identidades e trajetórias muito claras e definidas, personificando as diretrizes econômicas e sociais que nortearam os acontecimentos das últimas décadas.Ao longo de suas trajetórias, o leitor tem a oportunidade de conhecer um pouco da educação, do estilo de vida, do pensamento político e das ideias que norteiam o pensamento popular do Brasil. Quando a bolha imobiliária estoura, Ricardo luta para impedir o contágio no Brasil. Lucratividade, ética e responsabilidade social são algumas das questões que vêem à tona. Todos se confrontam com a nova realidade e a formação sociocultural de cada personagem determina as reações. Fortuna a Saga da Riqueza é um livro vivo, a historia não acabou. Ela continua nos países que lutam contra a instabilidade e o desemprego.
No livro conhecemos Ricardo, Carolina e Ana protagonistas da estória. Ricardo e Carolina são casados e ela está grávida de oito meses. Ricardo é economista e está passando por uma crise econômica e suas ideias são consideradas loucuras, que o faz ser demitido do emprego.
A obra se passa no ano de 2008, alternando passado com o presente. A vida de Ana no século XX, e o casal Ricardo e Carolina, no século XXI. Os três possuem uma forte ligação de parentesco que descobri ao ler as páginas do livro. Ricardo tem uma visão diferenciada e tenta em vão incentivar esses novos ideais na empresa que trabalha, mas não é bem aceito.

Dentro dessa trama também conhecemos o contexto de vida de Ana uma descendente de italianos que se apaixona por Paulo, mas acaba se casando com seu irmão mais velho, Joaquim, que não possui nenhuma expectativa de vida.
            Ela se muda para São Paulo e lá cria o filho de seu eterno amor que morre e logo em seguida sua esposa morre no parto deixando a criança órfã. Ela nutre um forte amor pelo menino chamado José e o cria como uma mãe.

“Construíram um patrimônio por terem descoberto, apesar da ignorância universitária, que a grande virada se dá quando se consegue retirar da engrenagem que tenta nos arrastar algo extra que vai se acumulando – seja uma poupança, um conhecimento, uma visão, um tempo de folga para sonhar e alicerça-los. Quando não há uma meta, um objetivo de longo prazo não acompanha a luta pela sobrevivência, a consciência do ser humano tende a anestesiar suas emoções e reações. Mas quando não há um sonho, um dia, esse algo acumulado se transforma na chave que leva o ser humano a trilhar outro caminho.”

Em São Paulo ela se torna uma figura importante na melhora do patamar de vida de sua nova família que aos poucos com esforço e trabalho conseguem ter imóveis e ganharem mais dinheiro e conforto. Ana é a responsável pelo crescimento financeiro da família Vaccaro que ao longo das gerações vão tendo oportunidades que seus antepassados não tiveram.

"Carolina via o mundo de Ricardo ruir e não conseguia alcançá-lo, impedi-lo de arrastar nessa derrocada o mundo de amor que os unia".

Carolina convence Ricardo a tirarem uns dias de férias e eles passam uns dias em Fernando de Noronha, lá Ricardo sofre uma espécie de choque e tenta viver sem nada e sem conforto algum, deixando a esposa assustada com seu novo comportamento, o que será que Ricardo planeja fazer com a vida que tanto lhe custou a ter?
Bom bibouss, o livro é bem interessante fala sobre o contexto histórico dos italianos e das crises econômicas que assolaram o Brasil e modificaram a vida dos habitantes do país. O livro é narrado em terceira pessoa, intercalando capítulos do século XXI e XX. As folhas são amarelas, a diagramação é simples e em cada passagem de capítulo é acompanhada de uma frase de efeito. A capa é interessante e tem forte relação com o livro, o livro não possui orelha o que deixa a folha em pé o tempo todo e o livro foi lançado de forma independente.
          Essa foi a resenha, espero que tenham curtido e deixem nos comentários o que acharam sobre ela. Fiquem de olho nas redes sociais.
Kissus
©
.
.
imagem-logo